História

Foi no início da primavera de 1931 que um pequeno grupo deu o primeiro passo para criar uma representação dos trabalhadores do comércio no Espírito Santo. Eram trabalhadores comuns, empregados nas principais casas comerciais de Vitória. Luiz Manoel Vellozo, por exemplo, que saiu daquela reunião eleito presidente provisório do nascente sindicato (também o primeiro associado matriculado nos registros da entidade), trabalhava na Hard, Rand & Co., uma empresa do ramo de exportação de café, de agentes de vapores e de seguros diversos, cuja vinda para o Espírito Santo datava do século anterior. Os demais presentes eram Dicamor Moraes, Arnaldo Dangermon, Carlos Alves, Pedro Moraes, Sylvio Pereira, Luiz Sanhami e Manoel Rolemberg. Assim, surgia o Sindicato dos Empregados do Comércio do Estado do Espírito Santo num cenário de forte mobilização olítica dos trabalhadores brasileiros.

Ao organizarem seu sindicato, os comerciários de Vitória buscavam instrumentalizarem-se juridicamente para fazer face aos novos tempos pretensamente modernizadores do Governo Provisório da República que, ironicamente, tornar-se-iam mais e mais autoritários e repressivos nos anos seguintes. Vellozo – muito conhecido por Maninho - após aquela reunião preliminar e já na condição de presidente provisório do Sindicato, fez publicar no jornal Diário da Manhã em 23 de setembro de 1931 um comunicado a [...] todos quantos estejam interessados na fundação do Sindicato, a comparecer á Assembléia geral de fundação definitiva e aprovação dos Estatutos elaborados pela competente comissão,[i] que se daria no dia seguinte às 20:00 hs, na então sede do Sindicato dos Operários da Companhia Central Brasileira de Força Elétrica (CCBFE), à avenida Capixaba n.63, centro da capital dos capixabas. [ii]

No ano anterior, após a deposição do presidente Washington Luís, Getúlio Vargas assumira o Governo Provisório da nação e vinha propondo leis polêmicas destinadas a atrelar a atuação política dos sindicatos patronais e de trabalhadores aos interesses do Estado. Para isto, utilizava como instrumento o recém-criado Ministério do Trabalho, Indústria e Commércio, promulgado pelo Decreto 19.433, de 26 de novembro de 1930.

A fundação e as primeiras lutas dos comerciários (1931-1947)

  •  1931
  •  Promulgação do Decreto 19.770, regulando e atrelando o sindicalismo ao Estado. O Decreto também estabelecia mandato anual para a direção das entidades sindicais.
  •  Fundação do Sindicato dos Empregados no Comércio no Estado do Espírito Santo (SEC), tendo por presidente provisório Luiz Manoel Vellozo.
  •  Eleição da primeira diretoria do Sindicato. Mário Bastos Manhães foi o primeiro presidente eleito do SEC.
  •  1941
  •  Mudança da razão social do Sindicato, deixando de ser Sindicato dos Empregados no Comércio de Vitória para ser conhecido como Sindicato dos Empregados no Comércio no Estado do Espírito Santo.
  •  Convocação de novas eleições, com Saturnino Rangel Mauro eleito novamente presidente do Sindicato.
  •  1947
  •  Candidato mais votado, Saturnino Rangel Mauro é eleito Deputado Estadual pelo PTB no Espírito Santo, deixando assim a presidência do sindicato.
  •  De 1947 a 1953 o sindicato foi gerido por uma série de Juntas Governativas, que foram influenciadas ideologicamente tanto pelo PTB quanto pelo PCB. Hermógenes Lima Fonseca foi seu membro de maior destaque.
  •  1959
  •  Juarez Martins Leite torna-se o novo presidente do Sindicato.

A audácia dos pioneiros: o Sindicato no tempo dos fundadores

  •  1966
  •  Sindicato dos Ferroviários tomou a iniciativa de enviar um convite circular a 13 sindicatos, entre eles o Sindicato dos Comerciários, propondo a redação conjunta de um manifesto que culminaria com a organização do Movimento em Defesa da Estabilidade e Demais Direitos Trabalhistas para lutar contra as mudanças estruturais que o governo federal tentava impor à classe trabalhadora.
  •  Sindicato articula a criação da Desportiva Comerciária para disputar campeonatos de futebol estaduais e interestaduais.
  •  O diretor Daílson Laranja é eleito deputado estadual pelo MDB – Movimento Democrático Brasileiro.
  •  1968
  •  Compra da nova sede no edifício Rural Bank.
  •  Daílson Laranja é cassado pela ditadura e perde seu mandato de parlamentar.
  •  1975
  •  O ex – presidente do Sindicato Juarez Martins Leite, é eleito deputado estadual em 1975 e reeleito em 1978, permanecendo até 1982.
  •  1982
  •  Novo processo eleitoral no Sindicato com duas chapas disputando. Na Chapa 1 Manoel Silva disputa a presidência pelo grupo de
  •  Helcio Alves da Motta, e a Chapa 2 liderada por Oswaldo Hülle.
  •  Chapa 2 elege-se com mais de 80% dos votos. O Sindicato torna-se um dos precursores do Novo Sindicalismo no Espírito Santo.
  •  Nasce o informativo dos comerciários "O Troco".
  •  1984
  •  Em assembléia geral extraordinária realizada no dia 07 de agosto, o Sindicomerciários decide realizar um abaixo-assinado contra o projeto do ministério da indústria e comércio, para liberar o funcionamento do comércio dias de domingo e feriados.Trata-se do primeiro registro de uma ação do Sindicato contra a abertura do comércio aos domingos e feriados.
  •  1985
  •  João Carlos Coser torna-se novo presidente do sindicato e da CUT-ES.
  •  1986
  •  João Carlos Coser elege-se deputado estadual.
  •  1988
  •  Glória Maria Lourenço torna-se a primeira mulher a gerir o Sindicato.
  •  Passeata noturna pelas ruas de Vitória, com cerca de 300 comerciários, contra o não-cumprimento por parte dos patrões da jornada de 44 horas semanais.
  •  Governo Sarney reprime manifestação pacífica de trabalhadores da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). Saldo final três trabalhadores mortos e diversos presos.
  •  O diretor Sebastião Cuzzuol é eleito vereador em Linhares, pelo PT (Partido dos Trabalhadores), permanecendo até 1992.
  •  O diretor Luis Carlos Poloni é eleito vereador em Cachoeiro de Itapemirim, permanecendo até 1992.
  •  1991
  •  Início do processo eleitoral. Racha na direção. Duas chapas concorrem. De um lado a Chapa 1, liderada por Germano Rodrigues de Quevedo, José Carlos Nunes da Silva e Gloria Maria Lourenço. Do outro lado a Chapa 2, liderada por Antonio Luiz Lima. Vence a Chapa 1. Germano tornou-se presidente.
  •  1994
  •  Congresso dos comerciários realizado em Santa Cruz – Aracruz. Adoção da marca e endereço teleférico SINDICOMERCIÁRIOS.
  •  Na véspera do Dia das Mães Sindicato promove Greve Geral, pois a classe patronal mostrava-se intransigente e não queria, em hipótese alguma, negociar as perdas salariais no mês de maio, propondo-se a discutir apenas em novembro. Repressão policial e os ânimos só foram apaziguados com a interferência do governador Albuíno Azeredo (1991-1994). Ao final do entendimento, o Sindicato obteve a conversão diária das comissões em URV e 14,72% de reajuste.
  •  Novas eleições sindicais. Duas chapas novamente concorrem. José Carlos Nunes da Silva sagra-se presidente com 72% dos votos válidos.
  •  1995
  •  Sindicato promove grande manifestação nas ruas do Pólo de Confecções da Glória, município de Vila Velha, em protesto contra a atitude de um grupo de comerciantes locais desejosos por alterar o horário de trabalho dos sábados.
  •  Outubro – Nasce a Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio e Serviços (Contracs) órgão ligado a Central Única dos Trabalhadores (CUT).
  •  1997
  •  O Sindicomerciários realiza um protesto em frente ao hipermercado Carrefour, contra a abertura do comércio aos domingos, foi a primeira organização no estado do Espírito Santo a iniciar abertura comercial no domingo.
  •  1998
  •  É criada a Secretaria Especial da Mulher Comerciária e Integração Comunitária do Sindicomerciários.
  •  Mobilização com mordaças em frente ao Shopping Vitória pelo fechamento das lojas no domingo.
  •  2001
  •  O Sindicato organiza a Patrulha da Limpeza, tendo papel importante nos atos de protestos pró impeachment do então governador do Estado José Ignácio. Nesta campanha, diretores e funcionários do Sindicato lavavam as escadarias da Assembléia Legislativa e do Palácio Anchieta (sede do governo), simbolizando a necessidade de uma investigação profunda dos crimes contra o erário público e moralização dos poderes do Estado.
  •  2002
  •  Luís Inácio Lula da Silva (PT) é eleito presidente do Brasil.
  •  2004
  •  Morte prematura de Germano Quevedo, presidente da CONTRACS e ex-presidente do Sindicomerciários, aos 37 anos de idade.
  •  João Carlos Coser (PT), ex-presidente do Sindicomerciários (1985-1988), elege-se prefeito de Vitória.
  •  Sessão solene na Assembléia Legislativa em alusão ao Dia do Comerciário. Homenagens aos ex-presidentes Saturnino Rangel Mauro, Germano Rodrigues de Quevedo, e João Coser, pelos muitos serviços que prestaram à categoria e ao Espírito Santo.
  •  Alci Matos Araújo, secretário de formação e comunicação do Sindicato, assume a Secretaria de Relações Internacionais da CONTRACS.
  •  2006
  •  O Sindicomerciários completa 75 anos e lança o livro Memória & Luta de Luiz Cláudio Ribeiro.
  •  José Carlos Nunes é eleito presidente da CUT-ES.
  •  Jackson é eleito o novo presidente do Sindicomerciários.
  •  2008
  •  A crise do crédito mundial atinge as grandes instituições financeiras, causando retração da economia.
  •  O Sindicomerciários garante em convenção coletiva o direito d descanso aos domingos, para os trabalhadores de supermercados, sendo o único do Brasil a conseguir este mérito.
  •  Arlete Brito, diretora do Sindicomerciários de Cachoeiro de Itapemirim é eleita vereadora, com 1.396 votos, pelo PT.
  •  Djalma Dias Rocha ex – diretor do Sindicato (1997 -2000) é eleito vereador, com 3.549 votos, sendo o mais votado de Cariacica.
  •  2009
  •  João Coser é reeleito prefeito de Vitória e eleito presidente da FNP (Frente Nacional dos Prefeitos).
  •  O Sindicomerciários realiza plebiscito junto a funcionários de shopping's da região metropolitana para discutir o horário de funcionamento nos dias de domingo ou seu fechamento.
  •  Em outubro toma posse a nova diretoria, tendo como presidente a reeleição de Jakson Andrade Silva.
  •  Fundação da Subsede de Afonso Claúdio.
  •  2010
  •  O Sindicomerciários Participa do 2º Conclat em São Paulo (Conferência Nacional da Classe Trabalhadora).
  •  O Sindicomerciários garante pelo terceiro ano descanso aos trabalhadores aos Domingos.
  •  O Sindicomerciários garantiu na CCT o fim do banco de horas no setor logísta do Estado do Espiríto Santo.

Denúncias

Se você está sofrendo qualquer tipo de abuso no seu local de trabalho, o Sindicato sempre será o seu maior aliado!

Informativos



Siga-nos nas redes sociais

Receba nossas notícias